Além de ser um dos jogos mais populares do mundo, o poker é uma grande “fábrica de milionários”. Isso porque os torneios distribuem premiações cada vez mais generosas não apenas para os vencedores, mas para todos que terminam ITM.

Separamos uma lista com os 10 jogadores que mais faturaram com torneios presenciais ao vivo, considerando os grandes circuitos, de acordo com levantamento do site The Hendon Mob. E claro, tem competidor da equipe partypoker e membro do Hall da Fama no top 10.

10º lugar – Steve O’Dwyer

O norte-americano de 38 anos abre a lista. Conhecido como “MrTimCaum”, O’Dwyer acumula uma premiação total de carreira de US$ 30,4 milhões, sendo o mais premiado da história do Estado americano do Colorado.

Sua maior quantia veio em um torneio High Roller em 2015, nas Bahamas, quando levou pra casa US$ 1,8 milhão. Ele superou a marca milionária em outras cinco oportunidades, incluindo o prêmio do vice-campeonato do partypoker Caribbean Poker Party em 2018. O’Dwyer possui dois títulos European Poker Tour e outro do World Poker Tour, além de uma mesa final do World Series of Poker.

9º lugar – Jason Koon

Outro representante dos Estados Unidos na lista é Jason Koon, um dos competidores da equipe partypoker. Desde 2008, o jogador de 35 anos já faturou US$ 31,1 milhões em uma carreira marcada por conquistas em High Roller e ITMs no WSOP, WPT e EPT.

Um dos grandes nomes da história do Triton Super High Roller, Koon tem como maior premiação de sua trajetória a quantia de US$ 3,5 milhões conquistada após o título do torneio em Montenegro (2018). Em outra edição do Triton na Coreia do Sul, no ano seguinte, embolsou US$ 2,8 milhões. Ele também sustenta o título de jogador mais bem sucedido do estado de West Virginia.

8º lugar – Fedor Holz

O primeiro “não-americano” da lista vem da Alemanha. Fedor Holz tem uma trajetória relativamente curta no poker profissional, com menos de uma década de atuação em grandes torneios, mas já aparece entre os mais bem-sucedidos da história do poker com apenas 27 anos.

Natural de Saarbrücken e residente em Viena, na Áustria, Holz tem uma premiação de carreira de US$ 32,5 milhões, sendo o maior da história de seu país e o segundo maior da Europa. Ele tem um histórico de enorme sucesso no World Series of Poker, conquistando dois braceletes – o mais recente deles na versão online deste ano. Sua maior premiação, no entanto, veio com o vice-campeonato do evento 78 do WSOP 2018, quando faturou nada menos que US$ 6 milhões (o campeão levou US$ 10 milhões e aparecerá em breve nessa lista…).

7º lugar – David Peters

Com a bagatela de US$ 33,7 milhões, o norte-americano David Peters aparece na sétima posição, sendo o mais premiado da história do estado de Ohio e o quinto de seu país. Aos 33 anos, conquistou recentemente seu segundo bracelete do WSOP, no $10,000 Heads Up No Limit Hold’em Championship. Quatro anos antes, ele ganhou o primeiro título no maior circuito do planeta ao conquistar o evento 56.

Em nove oportunidades, Peters levou mais de US$ 1 milhão em torneios ao vivo, sendo a maior premiação em 2016, quando foi vice do Triton Super High Roller Series do World Poker Tour e ficou com US$ 2,6 milhões.

6º lugar – Stephen Chidwick

A Inglaterra é um celeiro de grandes jogadores de poker, como Sam Trickett, Charlie Carrel, Dave Ulliott, Toby Lewis, entre outros. No entanto, nenhum deles tem uma carreira tão prolífica em prêmios quanto Stephen Chidwick. Aos 31 anos, ele já embolsou US$ 34,3 milhões, sendo o jogador mais bem pago da Europa em todos os tempos.

Chidwick é figura carimbada em torneios Triton e na série live do partypoker. Em 2018, em dois dias seguidos, ele faturou mais de US$ 2 milhões no Millions Barcelona. Sua maior premiação da carreira veio em 2019, no Triton Londres, quando ganhou US$ 5,3 milhões. A grande conquista da sua trajetória, no entanto, foi o bracelete do WSOP conquistado no ano passado, no evento 45 do circuito (High Roller 8-Handed).

5º lugar – Dan Smith

Outra figura carimbada dos torneios High Roller é o norte-americano Dan Smith, cuja premiação total de carreira é de US$ 36,7 milhões. Sua maior conquista em dinheiro até hoje veio no Triton Londres de 2019, quando levou pra casa pouco mais de US$ 8,7 milhões.

Ele já ultrapassou a marca milionária em nove torneios diferentes, incluindo dois títulos do World Poker Tour (2013 e 2017) e uma conquista no European Poker Tour (2012). Aos 31 anos, é o mais bem-sucedido do estado de Nova Jersey.

4º lugar – Erik Seidel

O quarto lugar na lista é de um dos veteranos do mundo do poker, o norte-americano Erik Seidel. Na ativa há mais de três décadas, o jogador de 60 anos já faturou US$ 37,7 milhões – e contando, já que segue na ativa no circuito.

Ele possui nada menos que oito braceletes do World Series of Poker, sendo um dos maiores campeões da história do torneio. Não à toa integra o Hall da Fama desde 2010. A maior premiação da carreira, no entanto, não foi em Las Vegas: no Aussie Millions de 2011, na Austrália, Seidel ficou com o título e com US$ 2,4 milhões como premiação.

3º lugar – Daniel Negreanu

Único competidor fora dos Estados Unidos a figurar no top 5, Daniel Negreanu tem uma carreira que dispensa apresentações, sendo considerado um dos maiores da história do esporte da mente. Membro do Hall da Fama e dono de seis braceletes do WSOP (além de 2 títulos do WPT), o canadense de 46 anos já faturou US$ 42 milhões em torneios ao vivo – sendo o segundo mais premiado da história do World Series, ficando atrás apenas de Antonio Esfandiari.

Conhecido como “Kid Poker”, Negreanu conquistou a maior premiação da carreira em 2014 no The Big One for One Drop, um dos mais rentáveis do World Series of Poker. Ele terminou em segundo lugar e levou pra casa US$ 8,2 milhões.

2º lugar – Justin Bonomo

Com uma premiação de carreira de US$ 49 milhões, o norte-americano Justin Bonomo é o segundo da lista. Na ativa há quase duas décadas, o jogador de 34 anos é o mais bem-sucedido da história do estado da Virginia.

Bonomo ostenta três braceletes do World Series of Poker, incluindo a vitoriosa campanha em 2018 sobre Fedor Holz, levando pra casa a quantia de US$ 10 milhões, uma das maiores da história para qualquer jogador em um torneio ao vivo – além de ser, obviamente, a maior de toda a sua carreira.

1º lugar – Bryn Kenney

Porém, ninguém faturou mais com poker ao vivo do que o norte-americano Bryn Kenney, de Long Beach, que já ganhou US$ 56,4 milhões em pouco mais de uma década no poker profissional – o suficiente para ocupar o topo da elite no poker mundial.

As altas cifras se explicam pelos ótimos resultados em torneios High Roller, sobretudo o Triton. Em 2019, em Londres, Kenney levou pra casa nada menos que US$ 20 milhões pelo vice-campeonato. Além disso, são outras sete premiações na casa de US$ 1 milhão e outras dez de pelo menos US$ 500 mil. O norte-americano também já ganhou mais de 20 títulos.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.