A expressão “pendurar as chuteiras” é bastante comum no futebol para definir jogadores que se aposentam do esporte a nível profissional. No boxe e outras modalidades de combate, há o “pendurar as luvas”, assim como o “pendurar a raquete” no tênis. No poker, não se costuma ouvir a frase “pendurar as fichas” (ou as cartas), mas o esporte também conta com competidores aposentados.

Embora o fato de a modalidade não exigir o esforço físico, o que permite que jogadores sigam no circuito profissional por muitos e muitos anos, alguns jogadores optam por deixar o poker competitivo, seja por se dedicarem a outras atividades, ou simplesmente por “cansarem” das longas viagens e do tempo de dedicação que a elite do esporte exige.
Abaixo, listamos cinco grandes jogadores que já se aposentaram do poker profissional – embora alguns não tenham conseguido deixar o esporte completamente. Confira!

Doyle Brunson

É impossível jogar poker – seja profissional ou de forma amadora – e não conhecer o lendário Doyle Brunson. Afinal, estamos falando de um dos maiores jogadores de todos os tempos, dono de nada menos que 10 braceletes do World Series of Poker e membro do Hall da Fama da modalidade. Porém, toda grande trajetória tem que chegar a um final.

Em 2018, aos 84 anos, Brunson anunciou que se retiraria do poker profissional para cuidar da esposa, que estava com problemas de saúde à época. Ao longo de seis décadas no esporte da mente, ele acumulou mais de US$ 6 milhões em prêmios. Seu legado, no entanto, permanece na ativa – os filhos de Doyle, Todd e Pamela, também são jogadores profissionais de poker.

Doug Polk

Outro norte-americano que se retirou dos torneios profissionais é Doug Polk. Porém, neste caso, a idade não foi um fator determinante, afinal, ele tem apenas 32 anos. Após cerca de uma década atuando nas mesas de todo o mundo, acumulando 3 braceletes do WSOP e mais de US$ 9 milhões em prêmios, Polk anunciou sua aposentadoria em 2018 para se dedicar a projetos pessoais no Youtube. Dois anos mais tarde, decidiu deixar de vez o esporte da mente por achar que o poker estava ficando entediante.

Apesar de estar afastado dos grandes torneios, Polk não largou as cartas e fichas de vez. Isso porque ele concluiu recentemente um desafio de heads-up contra Daniel Negreanu, jogando nada menos que 25 mil mãos de poker nos últimos meses. Polk terminou a série com US$ 1,5 milhão de vantagem sobre o canadense.

Pratyush Buddiga

Ao longo de uma década atuando nas principais mesas de poker do planeta, o neozelandês (radicado no Estados Unidos) Pratyush Buddiga conquistou diversos feitos, sobretudo nos torneios high stakes. Ele foi duas vezes campeão do European Poker Tour, e tem mais de US$ 6 milhões em prêmios no esporte da mente.

No entanto, Buddiga decidiu se afastar das mesas para cuidar de sua carreira corporativa. Atualmente, ele é diretor em uma empresa de investimento em Venture Capital em San Francisco, na Califórnia (Estados Unidos). Seu último torneio de destaque foi o World Series Of Poker de 2017.

Andy Frankenberger

Após 14 anos atuando no mercado financeiro em Wall Street, nos Estados Unidos, Andy Frankenberger (foto) começou a se aventurar no poker no início da última década, e não fez feio. Ele venceu duas vezes o World Series of Poker e uma vez o World Poker Tour, além de outros títulos, como a Premier League, série de torneios ao vivo organizada pela Partypoker.

Mesmo faturando mais de US$ 3 milhões no esporte da mente, Frankenberger decidiu se afastar dos torneios em 2018 para voltar a se dedicar integralmente à sua carreira no mercado financeiro. Apesar disso, ele ainda marcou presença no WPT 2019, em Atlantic City, antes de deixar de vez o circuito profissional.

Vanessa Selbst

Dona de um invejável currículo no poker profissional, incluindo 3 braceletes do World Series of Poker e mais de US$ 11 milhões em prêmios ao longo de uma década no esporte da mente, a norte-americana Vanessa Selbst é considerada uma das maiores jogadoras da história do poker feminino e uma inspiração para todas as mulheres que buscam uma carreira na elite. Em 2018, ela surpreendeu o mundo ao anunciar que estaria se afastando do circuito profissional.

Apesar de não ter se desligado completamente do esporte, já que chegou a disputar torneios após o anúncio, Selbst decidiu dedicar mais tempo à família. Além disso, ela é bastante ativa na causa LGBT, apoiando entidades na luta contra a discriminação como advogada. Porém, o poker segue tendo importância em sua vida: recentemente ela se juntou à um projeto de mentoria do consagrado WPT.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.