Os últimos meses têm sido desafiadores para o poker ao vivo. Por conta da pandemia, o calendário de torneios presenciais foi completamente reduzido desde o março do ano passado, com os campeonatos online ganhando cada vez mais destaque. Marcas tradicionais como World Poker Tour, World Series of Poker e Irish Poker se renderam de vez ao digital.

No entanto, com o avanço da vacinação em todo o planeta, a tendência é os grandes torneios em cassinos, hotéis e clubes espalhados pelo mundo comecem a voltar à normalidade em breve – embora ainda não seja possível estimar uma data.

É verdade que o online continuará sendo uma alternativa cada vez mais utilizada pelas grandes marcas do mercado, mas vale a pena ficar de olho nas “capitais do poker” na América do Sul para os jogadores de poker desbravarem quando voltarmos à normalidade – e o que o futuro reserva para essas cidades espalhadas pelo continente.

Punta del Este (Uruguai)

Punta del Este (Uruguai)

Foto: Divulgação/Wikimedia

No litoral uruguaio está uma das cidades que mais recebeu torneios de poker nos últimos anos. Trata-se de Punta del Este, um dos maiores balneários turísticos da América Latina. Localizada a 120 km de distância da capital Montevidéu, a cidade é banhada tanto pelo Rio da Prata quanto pelo Oceano Atlântico e chama a atenção pelo seu charme.

Foi lá que o brasileiro Pablo Brito faturou o Partypoker MILLIONS South America, em 2019. A cidade também já recebeu torneios como WSOP International Circuit, WPT e o extinto Latin America Poker Tour (LAPT). O principal palco é o Enjoy Punta del Leste Resort & Casino, maior resort da América Latina, e a boa notícia é que o estabelecimento iniciou sua fase de reabertura em dezembro – o que reacende as esperanças para um breve retorno dos torneios. Enquanto isso não acontece, o MILLIONS acontece online.

Vinã del Mar (Chile)

Vinã del Mar (Chile)

Divulgação/Chile Travel

Do litoral uruguaio para o chileno: Viña del Mar é a principal cidade do país quando o assunto é poker – além de ser um dos mais belos litorais do Oceano Pacífico em todo o continente. Situada a cerca de uma hora da capital Santiago, a cidade conta com uma arquitetura bastante peculiar e se destaca por seus cassinos. Viña del Mar recebe diversos torneios anualmente e também foi sede do LAPT.

Os estabelecimentos de jogos reabriram recentemente, embora haja algumas restrições para entrada de turistas no Chile neste momento. Apesar disso, é um destino imperdível para o futuro.

Lima (Peru)

Lima (Peru)

Foto: Divulgação/Wikimedia

A pujante capital peruana é um dos destinos mais tradicionais do continente, seja por sua riqueza histórica e cultural ou pela gastronomia de nível mundial. Para os amantes de poker, também é um excelente destino para o pós-pandemia, pois conta com diversos cassinos e salas de jogos para os amantes do esporte da mente, como Atlantic City, El Polo e Majestic.

A cidade era uma das sedes fixas do LAPT e já recebeu muitos grandes jogadores latino-americanos. Apesar de estar um pouco distante dos grandes torneios, é certamente uma “capital do poker” e um destino obrigatório nos próximos anos.

Puerto Iguazú (Argentina)

Puerto Iguazú (Argentina)

Foto: Divulgação/Wikimedia

Localizada na tríplice fronteira entre Argentina, Brasil e Paraguai, a cidade de Puerto Iguazú – localizada do lado argentino da Foz – atrai milhares de jogadores de todo o continente por sua oferta de cassinos (é uma das províncias em que eles são legalizados no país), como o Casino Iguazú. Em 2017, o local recebeu uma edição do WSOP International Circuit.

Os cassinos locais reabriram em outubro do ano passado, mas ainda estão funcionando em horários alternativos. A tendência é que a cidade retome a normalidade com seu entretenimento nos próximos meses – o que inclui as mesas de poker.

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Divulgação/Pixabay

Não há como falar de poker na América do Sul sem mencionar o Rio de Janeiro. É verdade que, ao contrário das outras “capitais” citadas, os torneios não ocorrem em cassinos – afinal, eles ainda não foram liberados pelo Governo Federal. No entanto, uma vez que o poker não se enquadra como jogo de azar, sua prática é totalmente legal em hotéis, clubes e outros estabelecimentos do gênero.

A Cidade Maravilhosa já recebeu torneios como o Partypoker MILLIONS, o WSOP, o BSOP, entre outros. Para os competidores amadores, a reabertura de clubes de poker da cidade dependerá do avanço da vacinação no país, que começou em janeiro deste ano.

São Paulo

São Paulo

Foto: Divulgação/Wikimedia

A capital paulista também é um reduto de grandes torneios – ou pelo menos era antes da pandemia. São Paulo já foi sede do BSOP, LAPT e também recebe o Campeonato Brasileiro de Poker por Equipes, principal torneio de seleções estaduais do país.

É a cidade do país com maior número de praticantes de poker e, consequentemente, concentra o maior número de clubes para a prática da modalidade. Assim como o Rio de Janeiro, depende do avanço da vacinação para a retomada do calendário de torneios.

Balneário Camboriú

Balneário Camboriú

Foto: Divulgação/Pixabay

O Sul do Brasil tem enorme tradição no poker. Em termos de competidores, Curitiba é um grande polo. Mas é a cidade catarinense de Balneário Camboriú que se destaca quando o assunto são torneios – além suas belas praias, é claro.

Localizada a 80 km da capital Florianópolis, a cidade já recebeu o WSOP e também é sede do Kings Series of Poker (KSOP), que em 2020 foi realizado online na plataforma do partypoker. Com a futura retomada da normalidade, deve continuar sendo um dos principais destinos para os amantes das cartas e fichas.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.