Não importa o seu nível de jogo no poker, os erros sempre estarão presentes. Isso porque é absolutamente normal que o cérebro entre em pane por frações de segundo ou minutos quando se joga várias mesas ao mesmo tempo, ou quando se está há muitas horas em uma mesa de torneio ao vivo.

Engana-se quem pensa que apenas os jogadores iniciantes e os recreativos cometem erros definidos como “amadores” ou equívocos no que diz respeito às apostas, aos blefes em hora errada ou à simples tomada de decisão equivocada.

Não há um jogador profissional que possa dizer que jamais cometeu um erro na carreira – e muitos deles foram, inclusive, televisionados para ficar como registro eterno.

Listamos abaixo quatro erros cometidos por pro-players de renome mundial que servem de exemplo a todos os jogadores – neste caso, exemplo do que não fazer em uma mesa online ou ao vivo, é claro. Em alguns, a desatenção foi fundamental. Em outros, a tomada errada de decisão acabou sendo
determinante. Confira:

Daniel Cates

Daniel Cates é um dos grandes nomes do poker norte-americano na atualidade, com uma premiação de carreira na casa dos US$ 9 milhões, mas cometeu um erro inimaginável até mesmo para jogadores amadores ao simplesmente descartar uma mão vencedora após o adversário revelar sua mão.

O fato ocorreu no National Heads-Up Poker Championship, torneio de uma rede de TV dos Estados Unidos no formato eliminatório 1 contra 1, em 2013. Cates enfrentava ninguém menos que Antonio Esfandiari e recebeu , contra do adversário. A mão seguiu até o river, com o board oferecendo . O straight A-5 dava a Cates a vitória na mão, mas ele simplesmente descartou suas cartas depois que Esfandiari mostrou sua mão após um double check – sem nenhum motivo aparente. Melhor para o rival, que ficou com o pote em uma mão mais fraca, e não estamos falando de uma situação de blefe.

Tom Dwan

O que fazer quando você recebe no pré-flop? Muitos arriscariam um all-in independentemente do posicionamento na mesa, mas não foi o que Tom Dwan fez no torneio Million Dollar há cerca de uma década. O jogador norte-americano jogou de maneira absolutamente conservadora até receber um raise de Phil Ivey com . Dwan poderia aumentar o pote consideravelmente, mas acabou caindo no blefe e deu fold com o par de damas.

Na mão seguinte, o jogador recebeu e fez exatamente o que deveria ter feito na mão anterior, mas desta vez com as cartas erradas. Após uma board totalmente desfavorável, arriscou uma bet pra cima de Chris Ferguson, mas o rival não caiu no blefe e aumentou a aposta, forçando Dwan à desistência. Ou seja, o jogador amargou a frustração por duas mãos seguidas.

Mikalai Pobal

O bielorusso Mikalai Pobal é um dos grandes jogadores europeus da atualidade, mas, assim como muitos outros, não é à prova de erros. Um dos mais cruciais aconteceu no European Poker Tour Barcelona de 2012, diante do finlandês Joni Jouhkimainen, um dos craques da equipe partypoker.

Após receber , Pobal flertou com o flush depois que o flop abriu com . O bielorrusso betou, e o adversário, com um par de reis naquele momento, deu call. Após nenhuma ação no turn, o river veio com , o que dava a Pobal o nuts e a vitória certa. Porém, após Jouhkimainen dar check, o bielorrusso simplesmente fez o mesmo em vez de apostar alto, que seria a ação óbvia, ainda que o adversário não cobrisse.

O erro, no entanto, não teve grande impacto, já que Pobal venceu o evento e levou pra casa mais de US$ 1,2 milhão, a maior premiação de sua carreira até hoje.

Niall Farrell

Blefar é parte fundamental do jogo, mas até quando sustentar uma mão fraca? O escocês Niall Farrell é a prova de que nem sempre vale a pena. Durante o Main Event do EPT Barcelona de 2014, o jogador provou o gosto amargo de um blefe malsucedido.

Segurando , o jogador da Escócia se viu diante de uma bet do austríaco Benjamin Lamprecht, que tinha , após um flop com . A chance para Farell já era mínima (2%), mas ele decidiu dar call. Após um no turn, veio o all-in de Lamprecht. Para a surpresa de todos, Farrell deu call novamente. O river ainda foi generoso com o escocês, trazendo um par de áses, mas não era o suficiente para vencer a trinca do rival. O britânico acabou eliminado do torneio na 228ª posição geral – poderia ter ido mais longe se não fosse o erro.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.