Recurso fundamental na mesa de poker, o blefe é uma das técnicas mais espetaculares do jogo. Essa jogada faz com que a modalidade seja tão surpreendente e cheia de imprevisibilidade por parte das ações dos jogadores.

Nos últimos anos, os torneios do partypoker reuniram vários dos principais jogadores do planeta. Com o nível altíssimo nessas competições, aconteceram blefes sensacionais que servem como verdadeiras lições de poker.

Voltamos um pouco no tempo e escolhemos três blefes incríveis que marcaram torneios do partypoker.

Marty Mathis — MILLIONS South America

Em 2019, o MILLIONS South America foi dos principais torneios da temporada, sediado no Rio de Janeiro, no famoso Belmond Copacabana Palace. Vale ressaltar que a série MILLIONS é a mais importante do partypoker LIVE.

Na mesa final, alguns dos melhores jogadores do Brasil estavam na disputa, como Bruno Volkmann e Caio Hey. Entre os estrangeiros, Marty Mathis liderava o grupo dos desafiantes ao lado de Samuel Gagnon e Matas Cimbolas.

Mathis terminou o Main Event do torneio com o título e parte de sua conquista se deve a um blefe decisivo contra Bruno — quando restavam apenas cinco jogadores na competição.

O estadunidense iniciou a mão com , enquanto o brasileiro recebeu cartas bem melhores como . Logo de cara, no pré-flop, Bruno tinha 62% de chance de vencer a mão.

Com vantagem de fichas (217 milhões), Bruno começou com uma aposta de 5.7 milhões. Martin estava consideravelmente atrás, com 120 milhões de fichas, e deu call na ação do brasileiro.

No flop, apareceram no jogo como cartas comunitárias. Com isso, as chances de vencer viraram de lado, com Martin tendo a vantagem de 54%. Bruno passou a vez, enquanto o estadunidense resolveu aumentar o pot com uma aposta de 6.7 milhões de fichas — seguido por um call do brasileiro.

No turn, veio à mesa e mudou completamente o patamar da rodada — dando a vantagem para Bruno. Mesmo com uma mão positiva, o brasileiro passou a vez.

Assim como no flop, Martin resolveu investir ainda mais fichas e colocou 20.9 milhões na mesa, ação seguida por um call do brasileiro.

Bruno consolidou a superioridade no river, quando veio a carta para complementar a rodada. Com a vitória garantida matematicamente, o brasileiro foi cauteloso e fez mais um check.

Na hora mais importante da rodada, Martin resolveu ir com tudo por meio de um all-in — técnica interessante para blefar. Após três rodadas seguidas de apostas altas, o investimento do estadunidense intimidou o brasileiro, que deu fold.

Mesmo com cartas piores, a agressividade de Martin durante todo tempo foi decisiva e o jogador terminou a rodada com 160.7 milhões de fichas.

Roberto Romanello — partypoker MILLIONS UK

Neste ano, o galês Roberto Romanello realizou uma verdadeira obra no Dust Till Dawn Casino, localizado em Nottingham. No tradicional partypoker MILLIONS UK, um dos embaixadores do partypoker concretizou um grande blefe contra o sueco Fredrik Andersson.

Na reta final do Main Event, Romanello e o sueco estavam na mesa contra Luigi Knoppers. No flop, Luigi tinha , enquanto o embaixador do partypoker tinha e Andersson contava com .

As três primeiras cartas comunitárias que apareceram foram . A superioridade era nítida para Andersson, que apostou no flop — com call de Roberto e Knoppers.

O turn chegou com 1.1 milhão de fichas no pot, que consequentemente se desenvolveu em uma rodada importante para o torneio. Com 945 mil fichas restantes, Knoppers iniciou o turn com check. Andersson, então com 71% de chance de vencer, realizou a aposta de 675 mil fichas — seguida de um all-in de Romanello com 745 mil.

Mesmo com 20% de chance de vencer, Romanello pressionou Andersson e jogou toda decisão pra cima do sueco —a essa altura da disputa, Knoppers já estava fora.

A atitude muito agressiva de Romanello funcionou e a ação de colocar todas as fichas na mesa intimidou o único adversário do galês. Assustado, o sueco teve que foldar no turn e isso rendeu 5.5 milhões de fichas para Romanello.

Bela jogada do galês, que na última década acumulou mais de US$ 3,3 milhões de ganhos só em torneios ao vivo.

J.C. Tran — Premier League III

O Premier League, realizado em parceria com o partypoker, foi um dos grandes torneios da última década, e vários jogadores renomados participaram da terceira edição do evento.

Phil Hellmuth esteve entre as lendas que jogaram o Premier League III. Em duelo contra J.C. Tran, ambos protagonizaram um momento sensacional na mesa de poker que culminou no blefe bem-sucedido de Tran.

Hellmuth iniciou a mão com , enquanto Tran tinha uma mão fraca com . Com o flop, vieram como cartas comunitárias e Hellmuth consolidou a vantagem com 60% de chance de vitória.

O flop terminou com Tran cobrindo uma aposta de 35 mil fichas de Hellmuth, aumentando o pot para 136 mil fichas. O turn trouxe na mesa e isso solidificou a vantagem de Hellmuth na rodada.
Hellmuth fez uma aposta de 48 mil fichas, seguida de um aumento de Tran para 113 mil fichas. Com a pressão em cima, o veterano jogador, vencedor de 15 braceletes do World Series of Poker, deu fold.

No turn, Tran tinha apenas 23% de chance de vitória, mas o estilo agressivo contra um dos maiores jogadores de todos os tempos funcionou. Blefe incrível que resultou em 297 mil fichas para Tran.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.