Foto: Divulgação/Pixabay

Como em tudo na vida, o poker também está cercado de alguns mitos, ou seja, supostas verdades absolutas que estão longe disso. Pior: muitas dessas inverdades acabam afastando jogadores da modalidade.

Até mesmo competidores de longa data acreditam em alguns desses mitos, que precisam ser refutados. Separamos abaixo sete máximas ligadas ao poker que não são verdades. Confira:

“O poker é um jogo de azar”

Esta frase é um clássico quando falamos de mentiras ligadas ao poker. Isso porque a classificação mais exata para a modalidade é esporte da mente, reconhecimento garantido há alguns anos pela International Mind Sports Association (IMSA).

Isso não quer dizer que o fator sorte não seja um componente importante nas mesas de poker, tanto no ao vivo quanto no virtual (até porque, a sorte é inerente a praticamente qualquer esporte). Porém, o sucesso na modalidade exige uma série de competências que acabam diminuindo o impacto do acaso nas partidas. Isso explica por que as mesas finais sempre têm rostos conhecidos no circuito – pode ter certeza que não foi a sorte que os levou até lá.

“Posso aprender poker jogando de graça”

Essa frase não está completamente equivocada. Afinal, é perfeitamente possível aprender as regras do esporte e a dinâmica do jogo sem colocar nem um real em risco – seja em plataformas gratuitas na internet ou jogando com amigos em home games de poker. Porém, conhecer as regras é diferente de saber jogar poker.

Isso porque o risco é um componente que muda todo o processo de tomada de decisões. Portanto, em jogos pra valer, a estratégia precisa ser ajustada completamente. Afinal, ações erradas geram perda de dinheiro, e disso ninguém gosta. Aprender poker é, acima de tudo, saber lidar com as diferentes situações que o jogo te coloca, inclusive aquelas que podem custar boa parte do seu bankroll.

“No poker, tudo se resume ao blefe”

É natural que o poker seja sempre relacionado ao blefe. Essa é uma das armas dos jogadores, e alguns são realmente bons na arte de enganar os oponentes. Porém, saber blefar não é o suficiente para ter uma carreira consistente. Até porque, grandes jogadores têm técnicas para reconhecer blefes, sobretudo com a leitura de sinais a partir da análise corporal.
O blefe é fundamental, mas não pode ser usado em todas as mãos. É preciso saber quando é o momento de dar fold, o que depende de uma série de fatores, como o tamanho do pote, seu próprio bankroll, o posicionamento na mesa e, claro, a característica de seus adversários.

“Poker é um jogo para homens”

O poker sempre esteve muito associado à figura masculina – algo que também se explica pela forma como a modalidade sempre foi abordada no mundo do entretenimento, sobretudo no cinema. Embora os competidores masculinos estejam entre os maiores vencedores de torneios como World Series of Poker e World Poker Tour, as mulheres estão ganhando cada vez mais espaço.

São incontáveis os exemplos de mulheres que obtêm sucesso no esporte, inclusive vencendo os grandes nomes do circuito masculino. Aliás, esta é uma das grandes vantagens do poker em relação a outros esportes: homens e mulheres podem competir uns contra os outros em condições de igualdade, já que não há a influência da questão física como ocorre em outras modalidades.

“Jogos online de poker são armados”

Outra mentira que acaba afastando muitos jogadores das mesas online de poker é a crença de que os sites são “armados”, ou seja, colocar dinheiro em uma plataforma de poker é perigoso. Porém, a verdade é que os principais sites estão sujeitos a uma série de normas e diretrizes de segurança, sejam aquelas impostas pelas comissões reguladoras de jogos, sejam os mecanismos internos de proteção.

Além disso, os sites de poker são cada vez mais precisos ao identificar possíveis “cheaters”, ou seja, jogadores que utilizam softwares maliciosos para obter vantagens nas mesas digitais. Porém, é claro que essa segurança se aplica apenas às empresas de renome do mercado, o que significa que é preciso estar atento na hora de escolher um site para jogar poker online.

“Preciso ser um gênio da matemática para jogar poker”

Ninguém precisa ser um PhD em matemática para ter uma trajetória consistente – nem tampouco ser um expert em álgebra e cálculos avançados. É verdade que é um grande diferencial ter um bom conhecimento em probabilidades e facilidade em fazer contas, mas não é isso que define os grandes jogadores de poker.

O que realmente importa é unir a facilidade com cálculos a uma tomada de decisões assertiva, à capacidade de gestão de banca e aos outros fatores que separam os bons jogadores daqueles que só perdem tempo e dinheiro.

“Um par de ases sempre vence no poker”

Nenhuma mão é garantia de vitória em partidas de poker, nem a melhor delas – que é o par de ases. É claro que as probabilidades de vencer segurando AA são grandes no Texas Holdem, mas como acabamos de mostrar, o jogo de poker não se resume à matemática.

Não são poucas as vezes que jogadores acabam perdendo com AA na mão – seja por utilizar uma estratégia equivocada, por cair em algum blefe ou simplesmente pela mesa dar força à uma mão de pouco potencial. Ter boas cartas é apenas o ponto de partida em uma mesa de poker, e uma boa chegada depende de outros fatores.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.