Era começo de noite no domingo, sete de junho, quando Carlos Souza finalmente “respirou”. Centenas de horas e dezenas de milhares de mãos depois, esse brasileiro de Blumenau pôde descansar seu mouse e saborear o momento.

Às 20:00 do horário de Brasília (00:00 em Londres) teve fim a disputa pela liderança semanal dos Cash Game Leaderboards do partypoker. E Carlos – identificado pelo nick Pipedreeam –, foi quem terminou à frente na disputa nas mesas de PLO 10 – superando milhares de rivais pelo mundo e ficando com a premiação de mil dólares.

Fruto de trabalho, disciplina e muita resistência (física e mental), o triunfo naturalmente já seria motivo de orgulho e euforia. Neste caso, porém, a conquista teve significado ainda mais profundo. Mais que um título, a vitória é um marco na carreira de Carlos. É a retomada de uma história que já esteve muito perto de um final triste.

2014… COMEÇO ARREBATADOR

Carlos, hoje com 25 anos, tinha 18 quando conheceu o poker. O gosto pelo jogo foi imediato e mudou a vida dele. “Eu trabalhava com manutenção de transformadores de poste, era um emprego comum, com 8 horas de trabalho diário, quando conheci o poker. Percebi que não conseguiria realizar os sonhos que tinha (no antigo emprego), mas vi no jogo a oportunidade de crescer na vida mais rápido do que o comum”, conta Carlos, que conversou na última semana com o blog do partypoker.

A mudança para o poker não foi exatamente difícil. Carlos era jovem e não via futuro no emprego que tinha na época. A maior dificuldade que teve naquele momento foi convencer seu avô, Pedro, de que o poker era uma opção viável.

“Me dedicava totalmente ao poker, mesmo com meu avô sendo contrário no início. No fim, com muito foco e trabalho, consegui mostrar a ele que podia sim viver do jogo”, conta o grinder, atualmente um dos destaques mundiais nos limites de US$ 0.05 a US$ 0.10 de Pot Limit Omaha.

APRENDENDO COM OS MELHORES: PUPILO DE VOLKMANN E PABRITZ

A mudança definitiva para o poker foi rápida. Ainda em 2014, entrou para o Vamo Duque Poker Team, a convite do craque (e seu conterrâneo) Bruno Volkmann, e passou a estudar com algumas das melhores mentes do poker nacional.

“O Bruno é daqui da minha cidade, conheci ele através de um clube de poker daqui, entrei em contato com ele no dia seguinte e entrei para o time de poker dele – o antigo Vamo duque. Isso foi em 2014”, lembra o campeão do primeiro Cash Game Leaderbord de junho. “Foi ele quem mais me inspirou no poker”.

Além de Volkmann, também fazia parte do time Pablo Brito – jogador nacional com melhores resultados em 2020. Em 2014, o genial pabritz era “apenas” um dos grinders do Vamo Duque. Mesmo assim, também deixou sua marca no jogo de Carlos.

“Estudei com ele (Bruno) e com o pessoal do time por 2 anos, pabritz também ajudou muito na minha formação como jogador. Estudamos muito por Skype, com vídeo aulas e debatendo mãos todos os dias. A evolução foi rápida”, conta Carlos, que na época se especializou um jogar torneios multi-mesas.

Um ano depois, em 2015, Carlos se tornaria ou regular em torneios MTT com buy-in de 55 a 570 dólares.  “Minha evolução foi muito rápida. Sai dos limites mais baixos para os mais altos em um ano de time e me mantive bem por um bom tempo”, conta o jogador, que hoje atua apenas em mesas de cash game PLO e com stake mais baixo.

GOLPE DURO DA VIDA E DEPRESSÃO

A experiência nos primeiros três anos de carreira parecia um sonho, apesar de eventuais altos e baixos inerentes a todos os profissionais. Bem orientado por alguns dos melhores do ramo, Carlos, aos 21 anos, aprendia a lidar a natureza traiçoeira do jogo de poker e caminhava para o amadurecimento nas mesas.

Tudo mudou muito de repente no ano de 2016, no dia em que morreu o avô do jogador. O mundo de Carlos foi apagado pelo luto: “2016 foi muito difícil para mim, não tinha mais motivação alguma para fazer nada”.

A morte de um parente ou alguém próximo é um dos ônus mais cruéis do envelhecimento.  Mas, por mais que o fim seja uma certeza, só o tempo para dizer que estragos a perda e o luto farão.

No caso da morte de sr. Pedro as consequências para o neto foram as muito sérias. O luto veio e tomou conta, por muito tempo. “Passei por uma depressão que durou uns três anos”, lembra o jogador.

A vontade de competir e se dedicar foram as primeiras coisas que foram embora. Em seguida, Carlos perdeu o espaço que havia conquistado: parou de competir nos torneios mais caros e viu diminuir seu bankroll. Abandonou a carreira.

RECOMEÇANDO DO ZERO NOS CASH GAMES

Foram quase três anos completos assim. Carlos começou a recuperar seu estado emocional em apenas em 2018, mas o estrago já havia sido feito. Naquele momento, o grinder se viu tendo que reconstruir tudo do zero.

Em novos tempos, novos hábitos. Mais forte psicologicamente e tarimbado pela vida, o jogador – que até a morte do avô atuava em torneios high stakes de NLH – retornou ao poker e, com o tempo, começou a focar seu grind nos cash games de PLO e apenas nos níveis mais baixos possíveis, mas com um objetivo claro em mente.

“Meus planos são chegar ao High stakes nos cash games”, afirma o jogador, que deve migrar para as mesas de PLO 25 já nas próximas semanas.

A chegada ao PLO 25, que deve acontecer nas próximas semanas, será mais uma conquista importante na segunda etapa da carreira de Carlos, marcada dessa vez menos pela ascensão meteórica e mais por uma evolução mais lenta, porém consistente.

CASH GAME LEADERBOARD: UMA AJUDA FUNDAMENTAL

Carlos Souza, o Pipedreeam, tem conseguido aumentar seu bankroll e subir etapas graças tanto a seus resultados nas mesas como nos rankings de Cash Game da sala.

Na primeira semana de junho, ele foi quem mais gerou rake para o partypoker na categoria PLO 10 e recebeu. A premiação de $ 1000 pelo feito equivale a 100 vezes seu buy-in regular atual.

Na edição seguinte dos Cash Game Leaderboards, a última com um sistema de disputa semanal, o jogador quase repetiu feito. Ficou novamente entre os 10 melhores.

Pipedreeam reconhece as boas condições que a sala dá para quem vive dos cash games e afirma que essas recompensas – que antes eram semanais e agora são diárias – foram fundamentais para que ele dedicasse muitas horas por semana ao jogo e ao estudo.

“O partypoker é o melhor site do mundo quando se diz respeito a cashback e promoções a seus jogadores. Isso fez com que eu me dedicasse totalmente a jogar mais mãos durante mais tempo”, diz o jogador, que é particularmente fã dos Cash Games Leaderboards.

“É uma promoção incrível, que dá a oportunidade para todos os jogadores desde os iniciantes até os de nível mais alto de conseguirem bankroll de maneira mais rápida que em qualquer outro site de poker no momento”, diz o homem por trás do nick Pipedreeam.

“Só depende de nós nos dedicarmos ao jogo”, prossegue o jogador, que possui objetivos ousados para o prosseguimento da carreira.  “Coloquei como meta ganhar todos os rankings semanais, sei que não vou ganhar todos, mas vou dar meu 110%. E para ganharem o ranking de mim vão ter que dar 120%”.

TRABALHO DURO E ODDS SEMPRE A FAVOR

Pipedreeam fala e faz. Nas últimas semanas, ele – que atualmente foca seus esforços nas mesas fastforward – foi muito competitivo e os rivais penaram para acompanhar o ritmo do jogador.

Uma competividade, aliás, construída a base de esforço diário. Como um bom trabalhador, Carlos começa cedo no batente. A rotina dele é acordar às cinco da manhã, ligar o computador e jogar até as 21h00, com pausas apenas para almoço e café da tarde.

“No final da sessão, reviso algumas mãos importantes. Depois do estudo, vou descansar para a maratona no próximo dia”, conta. “(Só) Tiro um dia da semana para descansar e aproveitar a família”.

Atualmente, a carreira de Carlos vive momento de ascensão e está estruturada em torno do grind apenas nos cash games de PLO e no estudo.

“Agora estou no processo de retomar o alto nível e vou me dedicar muito a isso, logo chegarei onde quero de novo”, diz o jogador, otimista em relação a seus próximos passos. “Acredito que qualquer pessoa pode chegar onde quer, só depende dela”.

O futuro, sabe bem Carlos, “a deus pertence”, mas ele sabe bem também onde que estar daqui a alguns anos e o que precisa fazer no presente.

Para chegar às mesas regulares mais caras do partypoker – que, no momento, são as de US$ 50 k (no heads-up) ou as de $ 500 na categoria fastforward –, o caminho será muito longo. Mas Carlos “Pipedreeam” Souza – que superou o desafio mais duro que a vida lhe apresentou – acredita que chegará lá.

Para se motivar, o jogador costuma usar uma frase famosa, cunhada pelo bilionário americano Elon Musk: “Se algo é realmente importante, você faz, mesmo que as probabilidades não estejam ao seu favor”.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.