Talento e o trabalho árduo colocaram João Simão  onde todo profissional de poker sonha em estar: no coração dos maiores torneios. WSOP, partypoker MILLIONS e muitos dos maiores High Rollers e Super High Rollers mundo afora fazem parte do currículo e da agenda do jogador, o melhor do Brasil em 2018.

Simão está habituado ao ‘crème de la crème‘ do circuito internacional e a enfrentar os mais aterrorizantes rivais com a naturalidade de quem joga um home game na sala de seu apartamento. Isso não quer dizer que seu coração não acelere de emoção às vezes, afinal de contas esse craque de Minas Gerais também é humano.

João ao lado mulher, Luiza Simão, durante o Latin American Poker Championship, em 2018

Humano, apaixonado por poker e pelo Brasil, Simão – que costuma controlar os nervos mesmo nos spots mais complicados – terá dificuldade em conter a emoção durante a realização do MILLIONS South America, que acontecerá de 15 a 24 de março, no icônico Belmond Copacabana Palace Hotel, no Rio de Janeiro .

O festival será o maior da história do Brasil e do poker latino-americano, com premiação garantida de US$ 7 milhões, sendo US$ 5 milhões apenas no Main Event. Está será primeira edição no país do circuito mais importante do partypoker. E Simão, maior representante da sala no país, é parte importante na realização deste evento magnífico.

Apesar disso, o jogador não esconde que, a princípio, se assustou com as cifras do MILLIONS do Rio e achou que realizar um festival tão grande seria ousadia demais. “Quando soube, liguei para os meus chefes e disse que estavam ficando loucos”, admite o jogador, em entrevista exclusiva ao blog do partypoker. “Mas, com um excelente planejamento, me mostraram que de loucura não tinha nada”.

Na conversa com o blog, o craque mineiro fala do MILLIONS, de estratégias para torneios deste tamanho do momento do poker nacional, entre outros tópicos. Confira, a seguir, a entrevista completa:

Qual a sensação de ter um festival de US$7M GTD em seu país?
É incrível ter um festival deste porte por aqui. O Brasil merecia.

Alguma vez havia imaginado algo assim?
Sinceramente, não. Quando soube, liguei para os meus chefes e disse que estavam ficando loucos. Mas, com um excelente planejamento, me mostraram que de loucura não tinha nada.

Simão se diverte ao lado do uruguaio Fabrizio DrMiKee González

Na hora de jogar, você sente-se pressionado?
Não. Jogar poker é a coisa que mais faço nos últimos 12 anos. Sinto confiança e tento pressionar os adversários menos experientes.

O MILLIONS South America será um divisor de águas para o poker brasileiro e latino-americano em geral?
Sem dúvidas. Pela primeira vez vamos ter uma invasão gringa por aqui, vão conhecer o clima agradável, os melhores dealers e todo encanto brasileiro.

Você classificou-se online. Vencer o torneio seria o final perfeito para um conto de fadas?
Participar já é um conto de fadas, para ser sincero. Vencer seria indescritível.

É preciso jogar de maneira diferente um torneio de US$10k?
Nenhum torneio deveria ser jogado de forma diferente, mas, já que muitos vão sentir o peso do buy-in, aconselho identificar esses jogadores e ajustar o jogo, aumentando a pressão sobre eles.

Por ser no Brasil e organizado pelo partypoker, você espera que o torneio tenha um nível equivalente ao do Main Event da WSOP?
Sinceramente, muito melhor que a WSOP em termos de organização. O Brasil vem dando show nos eventos, o partypoker também. Juntos, será um espetáculo.

Os brasileiros já podem ser considerados referência no poker mundial ou ainda têm o que provar?
Sem dúvidas, mostramos que somos uma das maiores potências, porém o mundo todo vem evoluindo muito. Ou sentamos e trabalhamos duro, ou, em breve, ficaremos para trás de novo.

Acredita que o MILLIONS South America possa tornar-se uma parada obrigatória no circuito mundial de poker?
Tenho certeza disso. Conheço muitos gringos e todos ficaram loucos quando souberam. A tendência é se tornar uma parada obrigatória.

Durante as viagens em família, como você e a Luiza organizam a rotina do dia a dia?
A gente define a rotina do poker, e em cima disso, ajustamos a rotina da família. Trabalho primeiro, diversão depois.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.