Twitch TV partypokerTV está ao vivo agora - Assista ao vivo na Twitch

Um dos melhores jogadores profissionais brasileiros, o paulistano Eder Campana está acostumado a disputar decisões. As retas finais são parte de sua rotina e se somam a cada fim de semana.  

Recentemente, durante a disputa do WPT World Online Championships, encerrado em setembro, Eder brilhou, com mesa final e título no WPT Weekender. Mais uma conquista de muitas na carreira, essa foi diferente – foi um “dejavu” no que deveria ser apenas mais uma reta decisiva. 

Inspirado, o profissional superou um field com grandes rivais e cravou o torneio – um dos mais importantes da última edição do WPT WOC – pela segunda temporada seguida. 

Seja em qual esporte for, ser bicampeão é raro. Eder, que é palmeirense, sabe disso: em 27 de novembro, ele vai torcer para seu time do coração vencer, pela primeira vez na história, duas edições seguidas da Copa Libertadores. 

Já não é nada fácil conseguir tal feito no futebol. No poker, então, vencer duas vezes o mesmo torneio – principalmente um MTT de alto nível e com centenas de competidores – é quase um exercício de fantasia. Um sonho quase impossível. 

E “quase”, nesse caso, é a palavra mágica. Porque Eder foi lá e fez o improvável. Conquistou duas vezes o mesmo torneio, em um período de 364 dias; o segundo triunfo veio em 27 de julho deste ano; em 2020, na primeira vez, o título veio no dia 28, também do mês sete.

Rei do Weekender?

Seria Eder Campana o Rei dos torneios Weekender do WPT WOC? O histórico garante que sim, mas o profissional afirma, categoricamente, que não é bem assim. 

Vencer duas vezes o mesmo torneio em dois anos seguidos só é possível com uma ajudinha da sorte em momentos decisivos, mas, ao mesmo tempo, ser competitivo a ponto de estar dois anos seguidos na reta final do mesmo evento é um feito que só um jogador de alto nível técnico e competitivo poderia alcançar.

“Seria muita ousadia da minha parte citar algum diferencial no meu jogo para atribuir essas conquistas”, diz Eder, que conversou recentemente com o blog do partypoker. “As vitórias são consequência de tudo que passei e aprendi nessa trajetória, com muita dedicação, estudos, ética de trabalho, experiência, performance e sorte”.

Dos clubes aos high stakes online

Os títulos seguidos no World Poker Tour orgulham, mas não sobem à cabeça do jogador. Atualmente, Eder está estabelecido na elite do poker nacional. Mas ele vem de ainda mais longe e já passou pelas mais diversas experiências em uma mesa de poker.  

Há 12 anos no meio, Eder – antes de ser um vencedor nos high stakes online – foi um bem sucedido jogador de clube, com experiência em cash e torneios, sendo um dos maiores vencedores do tradicional Circuito Paulista de Hold’em (CPH). 

“Passei por tudo. Naveguei por diversas modalidades que me trouxeram muita experiência – principalmente o cash game online e live”, conta o jogador, que também já foi especialista em PLO. “Tinha uma boa rodagem nos eventos ao vivo sendo recordista de mesas finais do prestigiado CPH entre outras conquistas”.

Essa experiência vasta nesse universo mais tradicional e romântico foi a marca nos primeiros sete anos de carreira de Eder – de 2009 a 2016. Em 2017, o profissional, mesmo sendo lucrativo e dominante nos clubes, deixou sua zona de conforto com o objetivo de evoluir tecnicamente e brilhar em palcos maiores e em cenários mais desafiadores. 

A mudança que “deu Samba”

“Há 5 anos decidi me dedicar exclusivamente aos torneios online”, conta Eder. Sobrando na turma do poker ao vivo, ele percebeu que tinha o mundo pela frente e uma margem enorme para evoluir dentro do jogo. 

O segredo para mudar de patamar foi estudar com grandes professores. E o primeiro passo foi entrar, em 2017, para o Samba Poker Team – equipe fundada, quatro anos antes, por Kelvin Kerber e Fabiano Kovalski.

E a mudança deu resultado quase logo de cara. Já em maio do mesmo ano, conseguiu seu primeiro big hit, ao cravar um evento de série em outro site. 

Logo vieram títulos, a recompensa financeira, mas, sobretudo, a evolução técnica. “Quando busquei esse desafio (de vencer no online), percebi que meus conhecimentos de torneios eram rasos e me dediquei muito para evoluir e escalar os limites”, diz o jogador.

Apesar de obter rapidamente os primeiros resultados, Eder sabia que ainda estava na superfície no profundo oceano de conhecimento que é o poker. Por isso, mergulhou – mais e mais – cada vez mais fundo, em busca de superar seus limites – e de subir de limites também. 

Assim têm sido os últimos cinco anos. Desse período, os dois primeiros foram no Samba, em uma parceria encerrada em 2017, num momento em que Eder sentiu-se, momentaneamente, frustrado. 

Assim, em fevereiro de 2019, ele saiu da equipe para jogar sozinho. “Esses 2 anos de Samba foram incríveis, provavelmente os melhores anos da minha carreira em termos de resultado e evolução, mas chegou a hora de voltar ao voo solo”, disse o jogador na época, em postagem nas suas redes sociais. 

Hoje, refletindo sobre aquele momento, Eder explica por que deixou a equipe. “Fui atrás de objetivos pessoais de carreira, que acabaram não vingando”, diz Eder. “Mas deixei o Samba pela porta da frente, sou muito grato pelo período que estive por lá e fiz muitas amizades”.

Fora do Samba, a ideia era seguir a carreira jogando por conta. Mas os planos mudaram meses depois, quando o 4Bet – de Will Arruda, Thiago Crema, Rafa Moraes e Marcos Sketch – fez proposta para contratar os serviços do jogador.

“Houve negociação, gostei muito do projeto, principalmente da confiança demonstrada no meu trabalho e perspectiva de crescimento dentro do time”, lembra Eder. A proposta abarcava, em linhas gerais, a possibilidade dele ser não apenas um jogador da equipe, mas, uma vez cumpridas determinadas metas, se tornar também instrutor.  

“Com o tempo, a perspectiva de crescimento dentro do time se mostrou verdadeira, pois hoje sou um dos head coaches do 4bet”, diz craque.  

No 4Bet, os instrutores costumam ter participação no sucesso da equipe, e Eder está entre os principais coachs do time. Atualmente, ele comanda a SWAT, uma das turmas do time principal.

Se os anos no Samba já haviam sido um marco, a experiência no 4Bet significou para Eder uma imersão ainda maior nesse universo de alto nível. “Provavelmente nos últimos 3 anos devo ter estudado mais que todos os anos anteriores somados”, diz.  

Trabalhando com muitos dos melhores do mundo, ele sabe que, para chegar no topo, tão importante como o trabalho obstinado foi estar ao lado das pessoas corretas. Por isso, tenta não esquecer nomes ao citar quem foi fundamental nessa trajetória de evolução. 

“São dezenas, provavelmente centenas de pessoas que tiveram alguma contribuição, e para não cometer injustiças vou citar os recentes”, diz Eder. “Will, Naza, GM, Crema, Gusma, Bedias, Headão, Vidss e todos os meus alunos, que me impulsionam a ser um melhor jogador e professor a cada dia”. 

Will Arruda, João “naza114” Vieira, Rafael ’rafaelmoraesgm’ Moraes e Thiago ’KKremate’ Crema”, além de quatro dos maiores jogadores do poker internacional, são atualmente os ‘chefes’ de Eder e principais responsáveis pela parte técnica do 4Bet.  

Pedro ‘Gusma’ Madeira, Bernardo ‘Bedias’ Dias, Victor ’Headão’ Begara e Vitor “ViDss” Rangel formam, junto com o próprio Eder, o grupo de instrutores de elite que comanda os jogadores com nível mais alto no time. 

Eder sabe que precisa estar ao lado dos melhores e trabalhar muito diariamente para seguir evoluindo ou – pelo menos – para se manter no nível que atingiu.  “Poker vive em constante evolução, e além dos resultados um dos principais pontos para avaliar o desempenho do jogador é o “teste do tempo”, longevidade de carreira”, diz o jogador, que admite a satisfação de ter chegado onde chegou.  

“Considerando esses pontos e tantos outros, acredito que sim (sobre estar entre os melhores do país) e tenho muito orgulho da minha trajetória, e consciente que ainda tenho muito a evoluir e conquistar”, diz Eder, que afirma, porém, que não tem a pretensão de estar entre os melhores do mundo: “Meu objetivo é estar entre os melhores nos torneios que jogo regularmente, e evoluir como pessoa e profissional nesse processo”.

Kobe, Lebron e o WPT 

Quem acompanha Eder nos torneios online já deve ter percebido que se trata de um apaixonado por basquete. Kobe e Lebron James, dois dos maiores astros da história, são inspirações para o jogador. 

Lebron James, um dos ídolos de Eder Campana

O Mamba – falecido em 2020 – costuma estampar sua foto de perfil em vários sites. Já Lebron foi, por algum tempo, o nick de Eder no partypoker

“Gosto de assistir, principalmente, NBA e futebol. Aprendo bastante e pego referências de vários atletas de alto rendimento” no caso do Lebron James, tive o prazer de acompanhar sua carreira desde o início, tenho uma enorme admiração por sua ética de trabalho e liderança, na minha opinião um dos maiores atletas de todos os tempos”.

Eder nunca será – nem quer ser um Lebron James -, mas ele mira no ídolo como inspiração e tem – tal qual o King – conseguido feitos notáveis.  

Se tornar um jogador de elite, após uma trajetória que começou nas madrugadas dos clubes de São Paulo – numa época em que o estigma social sobre jogadores de poker era muito mais comum – certamente é a maior das conquistas. 

Vencer duas vezes o mesmo torneio – mesmo um torneio de alto nível como o WPT Weekender – também é algo notável. De certa maneira, até dá – com alguma boa vontade – para comparar com os feitos LBJ. 

Assim como seu ídolo, os coleciona feitos de Eder também desafiam as probabilidades.  Lebron registra a incrível marca de ser finalista da NBA em 10 temporadas consecutivas. Se contasse apenas com o acaso, a chance de disputar tantas decisões em sequência seria de 1 em 576 bilhões. Mas não é uma questão de sorte.

No caso de Eder, as odds eram bem mais ‘favoráveis’. Com 483 e 488 nos fields de 2021 e 2020, respectivamente, a chance de um bicampeonato casual era de 1 em 235 mil – com o detalhe que no poker qualquer um está sujeito às intempéries da modalidade. É sorte? Um pouco, mas não tem como ser só sorte.

No fundo, Eder é só um cara normal, mas que leva muito a sério seu trabalho e o processo de evolução pessoal – assim como seus ídolos Kobe e Lebron. À sua maneira, ele também chegou muito longe. E os títulos no partypoker são símbolos dessa realização.

“Foram conquistas incríveis e muito significativas, pois além de todo o prestígio do WPT, foi uma das grandes séries que eu assistia e me encantava mesmo antes de jogar poker regularmente”, diz o jogador. “Naquela época, parecia um sonho muito distante sequer disputar esses torneios, e conseguir ganhar dois WPTs em anos consecutivos no mesmo evento, batalhando contra os melhores do mundo” diz Eder. “É surreal, sou privilegiado de conseguir um feito dessa magnitude”.

—//—

MAIS SOBRE O PARTYPOKER

Para consultas e atendimento personalizado em seu idioma, contate latam@partypoker.com ou fale com o nosso WhatsApp Call Center, no seguinte telefone: +55 22 99226-5006 de 10:00 a 22:00 .

Ainda não tem conta no partypoker, crie uma a partir deste link

Compartilhe.

Comentários estão fechados.