Embora a pandemia tenha prejudicado a normalidade dos torneios ao vivo no mundo todo nos últimos meses, o cenário online do poker cresceu de forma exponencial neste período de isolamento. Os sites registraram as mais altas taxas de tráfego simultâneo nos últimos cinco anos, de acordo com portais de monitoramento especializados.

De quebra, muitas marcas tradicionais do circuito, como o World Poker Tour, World Series of Poker, Kings Series of Poker, Irish Poker Open e tantas outras apostaram em plataformas digitais para dar continuidade ao calendário. Isso tudo somado aos já consagrados torneios do cenário online, como o Powerfest (que foi estendido por mais de um mês) e o Partypoker MILLION. Ou seja, o poker online atraiu todos os holofotes do esporte.

Diante dessa realidade, o Brasil aumentou ainda mais sua relevância no circuito digital. O país é recordista em número de jogadores no top 100 do ranking mundial da Pocket Fives, com 21 representantes (o que representa mais de 20%). Destes, dois integram o top 5: e o paranaense Pedro Vinicius Garagnani (4º colocado) e o capixaba Brunno Botteon (5º colocado).

Porém, o número que mais impressiona é a premiação total obtida por jogadores brasileiros nos últimos 3 meses. Ainda de acordo o Pocket Fives, os jogadores do país embolsaram cerca de US$ 19,6 milhões (mais de R$ 100 milhões) em cash games. Esse valor representa cerca de 4% do faturamento total dos brasileiros em toda a história do poker online, que pode ser explicado pela alta presença de competidores do país nas mesas digitais.

O Brasil lidera o ranking geral de países no que diz respeito à pontuação de seus grinders na lista, superando Reino Unido, Canadá, Rússia e Estados Unidos, que são potências do esporte. Levando em conta a média de pontos por competidor, o país aparece em 10º lugar (670 por jogador). São números que só comprovam o peso de nossos jogadores no cenário internacional do poker.

Jogadores da equipe partypoker se destacam

Boa parte desse resultado positivo que os brasileiros registraram nos últimos meses tem a ver com o bom desempenho dos jogadores da equipe partypoker. O embaixador João Simão é um ótimo exemplo. Só neste ano ele faturou três títulos na Powerfest, chegando a 12 no total e se isolando como o maior vencedor da história do torneio. De quebra, ele engordou seu bankroll em mais de US$ 50 mil.

Vale lembrar que João Simão é o recordista histórico do Brasil em termos de faturamento em poker online, tendo recebido cerca de US$ 9 milhões ao longo de mais de uma década de trajetória nas mesas digitais.

Outro que fez bonito nas mesas do Powerfest nos meses passados foi o sponsored Renato Nomura, que se estabeleceu um dos grandes destaques da competição (conquistando títulos e aparecendo em finais) e embolsou mais de US$ 40 mil para o seu bankroll.

Entre as mulheres, não há como não mencionar os resultados da curitibana Day Kotoviezy. O ponto alto de sua trajetória nos últimos meses foi o Kings Series of Poker (KSOP), realizado em maio. A jogadora faturou o Main Event e ficou com a premiação de US$ 30 mil. De quebra, ela também ficou com o primeiro lugar no ranking online do KSOP, levando mais US$ 2 mil.

Vale destacar, ainda, que Day fez mesa final em um dos eventos do Partypoker MILLION em abril. Ela terminou na quarta colocação do torneio e levou pra casa uma das maiores premiações da carreira: US$ 54 mil.

Pablo Brito crava três torneios

Quem também deu o que falar nos últimos meses foi Pablo Brito, o “Pabritz”, que vive em 2020 o ano mais especial de sua carreira até aqui. Ele começou faturando o título do Partypoker MILLIONS South America em fevereiro, disputado em Punta del Este, o que lhe rendeu a premiação recorde de US$ 1 milhão (a segunda maior já recebida por qualquer jogador brasileiro no poker).

Porém, o baiano que é uma referência no poker online não se contentou com esse título e cravou três outros grandes torneios nos últimos meses. O primeiro deles foi o Irish Open, um dos principais circuitos europeus, que lhe rendeu € 462 mil. Depois, o grinder conquistou também o evento #50 do WPT, embolsando a quantia de US$ 21 mil. Por fim, veio o título do The Big Game, competição que rendeu mais US$ 28 mil em premiação total.

Com isso, o jogador de 31 anos se consolidou como um dos principais representantes do poker online nacional. Convertendo para moeda nacional, só nesses grandes torneios, ele adicionou cerca de R$ 3 milhões ao seu bankroll.

Compartilhe.

Comentários estão fechados.